Plantão de Notícias

25/11/2009

Fonte: APACEF/RJ

RIO RECEBE 22 DELEGAÇÕES E PROMOVE CELEBRAÇÃO APOTEÓTICA

  APACEF/RJ é anfitriã de um dos mais emocionantes eventos dos economiários


       O Windsor Barra Hotel, no Rio de Janeiro, foi palco de um dos mais emocionantes reencontros entre os 1.200 economiários aposentados e pensionistas da Caixa, durante o Jantar Dançante de Boas-Vindas, sob o tema  "Nossos Bailes Nossas Vidas", organizado pela APACEF/RJ, anfitriã do XXXI Simpósio Nacional dos Economiários Aposentados e Pensionistas da Caixa, que está sendo realizado de 15 a 20 de novembro.
       A Grande atração da noite ficou por conta da banda carioca V-Trix que contagiou o público com um repertório dos anos 60, 70, 80 e 90, apresentando músicas que foram consagradas por várias gerações com performances teatrais — pois ela mistura ao seu repertório dançante, músicas onde os próprios integrantes da banda se transformam em atores irreverentes, com fugurinos e atuações hilariantes — que contagiaram os presentes.

Salão de festas. Público dançando.O público dançou ao ritmo frenético e performático da banda carioca V-Trix com sucessos dos anos 60, 70, 80 e 90.

O Presidente da APACEF/RJ agraciou os presidentes das entidades presentes no evento com um livro, edição bem cuidada com fotos de cartões postais do Rio, intitulado "Cidade Maravilhosa".

 

Presidente Olívio Vieira em primeiro plano junto a todos os presidentes em segundo plano.
Os presidentes das entidades representantes dos economiários que foram agraciados pelo dirigente Olívio Vieira após jantar dançante. (Foto do presidente Olívio segurando o livro-homenagem, junto aos outros presidentes)

 

 

ESSE SIMPÓSIO SERÁ UM DOS MELHORES
“Essa festa é o ponto alto, porque é a oportunidade de rever a turma toda e, para isso, não há dinheiro que pague. Cada Simpósio nosso  é melhor que o anterior. A gente vai aprimorando e aproveitando tudo o que acontece. Esse Simpósio, com certeza, vai ser melhor que o anterior”, diz Décio de Carvalho.

 

DELEGAÇÕES ESBANJAM MUITA ALEGRIA

No dia 16, aconteceu a Sessão Solene de abertura e a Bênção Ecumênica, que teve como uma das atrações o desfile das 22 delegações com cada um dos participantes ostentando a bandeira de seus Estados de origem e a apresentação da banda da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. O coordenador do Simpósio, Severino Caldas, desfilou com a bandeira do Brasil.
        Entre as delegações que prestigiaram o evento, a do Rio Grande do Sul trouxe maior número de componentes com 140 pessoas, e as menores foram as dos Estados de Goiás e Tocantins. A surpresa ficou por conta do Piauí que bateu o recorde de participantes na história do Simpósio, com onze pessoas na delegação - no ano passado, o estado enviou apenas um representante ao Simpósio de Aracaju. Contudo, a animação de todos os representantes dos vinte e dois Estados impulsionou com alegria contagiante o XXXI Simpósio do Rio como um dos mais contagiantes dos últimos tempos. 
         “É um evento que nos gratifica e exige em sua montagem muitos detalhes; vamos torcer para que dê tudo certo”, disse Carlos Levino Vilanova, membro Comissão Executiva. 
         Por sua vez, o presidente da APACEF/RJ, Olívio Gomes Vieira, enfatizou seu sentimento: “Vocês não sabem a emoção que eu e essa turma (sublinhando o trabalho destemido realizado pela Comissão Organizadora do evento) sentimos por apresentar esse Simpósio, que não foi feito somente de alegria, mas também de lutas. É um Simpósio diferente em sua parte de reivindicações e política. Muito obrigado a vocês todos pela presença. Sejam bem-vindos.”
        Para a superintendente regional da Caixa, Nelma Tavares, “é um momento importante que a gente está vivendo, principalmente aqui no Rio de Janeiro. A expectativa é que a gente possa trabalhar e se divertir bastante durante este Simpósio, fazendo uma boa discussão sobre as questões dos aposentados e também passear um pouco nesta cidade maravilhosa.”
         Segundo o presidente da Fenacef (Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas da Caixa) e da AEA/MG, Décio de Carvalho, “essa festa é o ponto alto, porque é a oportunidade de a gente rever a turma toda e, para isso, não há dinheiro que pague. Cada Simpósio nosso é melhor que o anterior. A gente vai aprimorando e aproveitando tudo o que acontece. Esse Simpósio, com certeza, vai ser melhor do que o anterior”, afirmou.
        Para o membro da Comissão Executiva do Simpósio do Rio e presidente da AEA/Pernambuco, Fernando Cavalcanti Neves, o XXXI Simpósio do Rio está superando todas as expectativas: “Eu estou achando excepcional porque eu não esperava um público tão grande. O Rio já é tão conhecido no mundo inteiro que eu achei que a perspectiva não seria atrair tantas pessoas, por isso fiquei simplesmente impressionado com o público que apareceu. A APACEF organizou de maneira a dar uma guinada na perspectiva do Simpósio e a gente está esperando que isso realmente se concretize. Que se tragam novos caminhos, novos debates e uma perspectiva nova para o aposentado. Nós estamos esperando e temos certeza de que isso vai acontecer, pois nós vamos trabalhar a semana inteira para isso”, acentuou.

 

Cerimônia de abertura

A mesa foi constituída por Emanoel Souza de Jesus, Marcos Antônio Bastos, Pedro Eugênio, Edilo Valadares, Olívio Gomes Vieira, Décio de Carvalho, Carlos Alberto Caser, Marlene Romano, Carlos Levino Vilanova, José Lambert Dodibei de Mattos e José Gabrielense Duarte.

 

 

O coordenador do Simpósio, Severino Caldas, desfila com a bandeira nacional

 

Cada delegação foi representada, no desfile, pela bandeira de seu Estado

 

 

 

 Olívio Gomes Vieira externa preocupação com os planos de benefício da Funcef

'A Carta Compromisso de Ação será o documento histórico do XXXI Simpósio do Rio’

Eis o discurso de abertura proferido pelo presidente, Olívio Gomes Vieira, no dia 16, na Sessão Solene de Abertura do XXXI Simpósio Nacional dos Economiários Aposentados e Pensionistas da Caixa.
“Todos têm, na vida que recebemos emprestada pelo Criador, um compromisso diário com a coragem de viver. Esse compromisso começa com o nascimento e se renova, sempre e indefinidamente, na medida em que tenhamos um desafio a superar.
Para mim, desta vez, não está sendo diferente. Tenho vivido assim desde quando a APACEF/RJ foi indicada para sediar e executar o XXXI Simpósio dos Economiários Aposentados e Pensionistas da Caixa Econômica Federal e com ela os desafios decorrentes.
Desafios que pairam desde a escolha dos locais dos eventos que compõem um acontecimento tão importante, e que ainda luta por sua melhor estruturação, (...). Porém, o momento é adverso, pois todos os aposentados e pensionistas da Caixa, inclusive suas lideranças, suportam um de seus piores momentos e, por isso, temos pouco a comemorar.
Há uma lista infindável de pendências recorrentes que se arrastam ao longo do tempo, mas não podíamos rejeitar o desafio da realização de um Encontro para sua discussão simplesmente porque estaríamos amedrontados com as críticas duras que, por certo, viriam.
Para não desperdiçar a oportunidade do debate que sempre perseguimos, aceitamos encargo de tão elevado custo político associativo. Conseguimos vencer os obstáculos para convencer aos que se opunham à pretensão de realizarmos o Evento que hoje, orgulhosamente, oferecemos a todos os companheiros e parceiros de nossa luta.
Todos sabem que o Rio de Janeiro tem motivos de sobra para sediar nosso Evento maior de congraçamento e discussão o qual realizamos pela segunda vez,  num razoável espaço de nove anos e trazemos novidades profundas em sua organização, pois conseguimos homenagear três economiários ilustres, que contribuíram de maneira expressiva pelo engrandecimento da Caixa Econômica e da Funcef.
Temos dois Patronos e um Presidente de Honra. Os Patronos são Álvaro Robin Romano e Idimar Ramos Bastos, que representam de maneira honrada e eficiente os economiários desde quando ainda éramos uma Autarquia Federal e que Deus, na sua inatingível Sabedoria, nos tomou prematuramente levando-os para Sua companhia sem se importar com a dor que nos causou, mas que assim o fez para nos ensinar a lição de superação da tristeza que as suas ausências nos trouxeram.
O Presidente de Honra, nosso estimado José Lambert de Mattos Dodibei, representa o marco do carinho que ainda lhe temos e que esperamos possa se estender de maneira egoisticamente assumida pelo tempo que as amizades sólidas exigem e cobram da eternidade.
(...) a partir do encerramento deste Encontro, no próximo dia 20, o Movimento Associativo Economiário dos Aposentados e Pensionistas da Caixa Econômica Federal do Rio de Janeiro sofrerá modificações expressivas na sua forma de agir e no comportamento de seus Representantes dos quais, esperamos, de coração, sejam contaminados positivamente para estimular a união e a força de que precisamos nos nutrir (...).
Dos temas que serão abordados em nossa agenda de trabalho, destaco um, que se avizinha como obstáculo sério e de difícil superação — a longevidade e as conseqüências atuariais que acompanham sua aplicação e influência nos Regulamentos dos Planos de Benefícios da Funcef
Não bastassem as circunstâncias ainda pendentes para a implantação plena da AT – 1983, já nos obrigam pensar na adoção de nova Tábua Atuarial (AT – 2000) que, para a sua utilização irremediável, nos impõe encarar o assunto com bastante preocupação por força das medidas que deverão ser tomadas para a sua execução.
Já conseguimos viver muito mais tempo. O que nos deixa felizes pelos avanços que a medicina vem experimentando, contudo por outro, obriga-nos, como participantes de um fundo de pensão a pensar bastante para definirmos sobre a melhor maneira de absorvermos essa nova realidade.
Com certeza teremos que examinar a conveniência de adoção de uma nova Tábua Atuarial que contemple de maneira confortável a Funcef e a nós (participantes, assistidos e pensionistas) a nova migração que já se desenha, pois bem conhecemos as dificuldades trazidas pela existência dos vários Planos de Benefícios que a Funcef administra e que, obrigatoriamente, precisam ser observadas as suas peculiaridades em razão dos direitos individuais já adquiridos por seus integrantes e que, por isto, não podem ser tocados ou modificados sem um estudo dedicado e específico.
A situação é séria e precisa ser olhada por esse viés, por todos nós, para que, depois, ninguém possa dizer que não sabia ou não tinha ouvido falar do tema. Ressalto senhores, a complexidade e a importância do assunto. Em razão disso, perguntamos: Qual seria a nossa alternativa mais prudente?
Seria, por exemplo, a constituição de um Fundo que sedimentasse sua base com recursos advindos dos resultados eventualmente superavitários para enfrentar os custos necessários ao pedágio dessa migração evitando, assim, acréscimos ou aumentos nas parcelas de contribuição tanto da Mantenedora quanto dos participantes, assistidos e pensionistas? Quem sabe?
Esperemos que a Funcef (...) esteja providenciando essa reserva garantidora que propicie transpor essa nova etapa de maneira bem tranquila (...), premiando nosso envelhecimento com mais tempo de vida, ironicamente, nos obriga a um pedágio remuneratório para compensar a longevidade conquistada.
Hoje se vive mais e com mais saúde. E a conseqüência direta disso é o reflexo direto nos Planos de Benefícios de qualquer Fundo de Pensão. E não será diferente com a Funcef.
Esse raciocínio vale tanto para quem ainda está em fase de contribuição, quanto para os que já estão em gozo de benefícios. O Simpósio que a APACEF/RJ realiza, agora, é o momento adequado para discutir com profundidade o tema que destaquei, pois não sabemos em quanto tempo mais poderemos reunir a grande massa de associados que nos honra com a sua vida.
Não podemos desperdiçar a oportunidade que se oferece para a discussão e debate de um assunto que já deve ser escolhido como o grande diferencial entre todos os Encontros por nós já realizados.
A Carta Compromisso de Ação será o documento histórico do XXXI Simpósio Nacional dos Aposentados e Pensionistas da Caixa Econômica Federal e será entregue à Mesa Diretora no próximo dia 20 de novembro e nela, por certo, estará este assunto incluído com o destaque e a importância que merece.
Para finalizar desejo, mais uma vez, a todos os nossos participantes, seus acompanhantes e convidados uma feliz estada no Rio de Janeiro para que, sob as bênçãos do nosso Cristo Redentor, possamos inscrever nas páginas de nossa história economiária o Evento que ora inauguramos não só como motivo de orgulho e de realizações, mas, especialmente, como um marco efetivo de mudança na forma de ver e resolver as nossas coisas.”
        

Presidente de Honra teve carreira brilhante na Caixa

José Lambert de Mattos Dodibei é o Presidente de Honra do XXXI Simpósio Nacional dos Economiários Aposentados e Pensionistas da Caixa. A justa homenagem teve seu ponto culminante no dia 16 de novembro, durante a Sessão Solene de Abertura, no Salão Louvre. Na ocasião, ele proferiu discurso emocionado. No alto de sua bem-sucedida trajetória, ingressou na Caixa nos idos de 1945, quando foi admitido como escrituário. Fez carreira brilhante tendo concluído o Curso de Arquitetura na Faculdade Nacional de Arquitetura, na Universidade do Brasil, em 1955. Trilhou na CEF carreira de engenheiro por necessidade de expansão do quadro de funcionários. Fez estágio em Paris em 1970 e, ao retornar ao Brasil, foi designado para a função de gerente operacional de habitação e hipoteca, onde trabalhou até 1973, retornando paro o cargo de engenheiro. Em 1977, foi convidado para exercer o cargo de gerente geral da filial Rio de Janeiro, função que exerceu até a sua aposentadoria, em janeiro de 1979.

José Lambert

APACEF/RJ rende homenagem aos presidentes das entidades associativas.

 


Myrinha de Vasconcellos (C) convoca os dirigentes das entidades representativas dos economiários, bem como os mebros da Comissão Organizadora: Ézio de Moraes, Silvino Belo, Dra. Vera Moraes, Severino Caldas, Waldir da Silva, Paulo Celibaldo, Helio Barcia (no alto); Décio de Carvalho, Carlos Levino Vilanova, Pedro Eugênio e Nelma Tavares (no 1º plano)

 

O QUE ELES DIZEM SOBRE O SIMPÓSIO

- “Minha expectativa é quase uma certeza. Vamos ter bons debates e congraçamento fantástico. Tudo indica de teremos eventos de primeira linha como mesas-redondas, e painéis, pois é um momento de elevar o conhecimento dos participantes. Será uma oportunidade, para o economiário aposentado conhecer muita coisa fora dos meandros da Funcef, como o que é a Petros, por exemplo. É importante sabermos sobre essa Fundação, pois nosso conhecimento está voltado às nossas necessidades”. (Edgard Lima, o presidente da Acacef/SC e responsável pelo Setor de Comunicação da Fenacef)

Edgard Lima

 

 

”A minha expectativa para esse Simpósio é a melhor possível. Uma irmandade como essa de aposentados é um motivo de muito orgulho e felicidade para nós. Só nós, aposentados da Caixa, conseguimos isso no Brasil inteiro. Isso também é fruto de muito amor e essa festa, com certeza, foi feita com muito amor. É uma grande confraternização entre todos os estados e até com colegas do nosso próprio estado. Algumas pessoas não freqüentam assiduamente as associações e passam a nos visitar exatamente porque querem participar do Simpósio e isso os aproxima muito mais da gente.” (Teresinha Leandro da Silva, Acea/PB)

Teresinha Leandro

 

“A nossa expectativa é que o Simpósio do Rio traga mais benefícios fruto de nossas reivindicações como tíquete alimentação e cesta alimentação. Ao todo, apresentamos quatro propostas, sendo uma delas que reivindica a cobertura pelo Saúde Caixa de transporte aéreo para economiários transplantados. Em relação ao Jantar de Boas-Vindas a escolha do local (Windsor Barra Hotel e a banda V-Trix, ao contrário de outros simpósios, não vimos nenhuma falha. Estão de parabéns Severino Caldas e Olívio Gomes Vieira, além da Comissões Executiva e Organizadora. Vale lembrar também que esta é a maior delegação da história dos economiários do Piauí, com onze participantes.” (Juarez de Brito Ferreira, presidente da AEA/Piauí)

Juarez de Brito

 


“Apesar das dificuldades, que venham propostas mais concretas e que não sejam tão somente uma ‘caixinha de surpresas’. Estou gostando muito da organização do Simpósio, principalmente do local privilegiado onde estamos, na praia da Barra.” (Nazareth Guimarães, Associação Paulista dos Economiários – Apea) 

 

“A festa descontraída fez as pessoas se integrarem com facilidade. A organização foi muito cuidadosa bem pensada e planejada. O ambiente proporcionou essa integração. Os aposentados já fizeram uma história dentro da Caixa e a proposta que defendo é a de que o aposentado da Caixa poderia ser um consultor do banco, dessa forma, valorizando o seu trabalho em prol da Caixa. (Antonia Pinheiro, Associação Paulista dos  Economiários – Apea)

“Estou gostando muito da festa. A banda está maravilhosa bem como a organização do evento.” (Sandra Amaral, Associação Matogrossense dos Economiários - Amea).

 

 

 

 


Voltar
Links de nossos parceiros

APACEF/RJ - Associação dos Aposentados e Pensionistas da Caixa Econômica Federal no Rio de Janeiro
Av. Almirante Barroso, 6 - Grupo 403 a 411 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
CEP 20031-000 - Telefax: (21) 2262-5177 / (21) 2220-8137 / 0800 258927